EUROPEU 2018 - ESPANHA CAMPEÃ EUROPEIA



Final do Campeonato Europeu de Hóquei em Patins!

Portugal perde com Espanha por 6-3.

Portugal iniciava o jogo com Girão, Hélder Nunes, Diogo Rafael, Gonçalo Alves e João Rodrigues! Dos atletas do Grande Porto, apenas Poka e Rafa ficavam no banco junto a Luís Sénica.

A dupla de arbitragem chegava-nos de Itália, com Joseph Silecchia e Franco Ferrari.

Chegou a hora da final, ou como dizíamos na nossa infância, 'Vamos jogar um Portugal Espanha?'

Entrada fantástica da seleção portuguesa, com Gonçalo Alves, com apenas 3 minutos de jogo, a partir em direção à baliza de Sergi Fernandez e com um belíssimo gesto técnico a fazer o 1-0 para Portugal! Primeira explosão de alegria para os milhares de portugueses presentes no Riazor!

A Espanha reagiu imediatamente com duas bolas perigosas mas a baliza portuguesa foi bem guardada por Girão. Contudo, aos 6 minutos de jogo, a reação espanhola deu resultado com o golo de Jordi Adroher, ele que tão bem conhece a nossa seleção. Com apenas 6 minutos de jogo, resultado de 1-1 entre portugueses e espanhóis.

João Rodrigues, num remate de fúria mandou a bola ao ferro da baliza espanhola e, no lance imediatamente a seguir, penalidade a favorecer a seleção portuguesa. Chamado à conversão, Gonçalo Alves permitiu a defesa a Sergi, e na recarga, enviou novamente a bola ao ferro da baliza do guardião espanhol! Minutos frenéticos no Riazor!

Carrega a Espanha e, uma vez mais um jogador com ligações a Portugal a bater Girão! Ferran Font, atleta do Sporting, fez o 2-1 para a seleção espanhola. 

Chegávamos aos dez minutos de jogo, com um jogo intenso, repleto de equilíbrio mas com a seleção espanhola na frente do marcador. Nesta fase tanto Luís Sénica como Alejandro Dominguez efetuavam as primeiras trocas nos cinzo iniciais.

Aos 15 minutos de jogo, Ferran Font pega-se com Henrique Magalhães e a dupla de arbitragem italiana mostra o cartão azul ao atleta espanhol! Livre direto para Portugal, e nova oportunidade para voltar a empatar a partida. Hélder Nunes chamado à marcação do livre direto mas o atleta português a desperdiçar mais uma bola parada para Portugal, algo muito habitual durante este Europeu. 

A Espanha ficava assim a jogar com menos um jogador durante 2 minutos. Durante este período Portugal apenas consegui alvejar a baliza de Sergi Fernandez por uma vez e sem sucesso.

A 6 minutos do final da primeira parte Diogo Rafael tem no stick uma excelente oportunidade de fazer o empate mas uma vez mais o guardião espanhol levou a melhor.

Com 3 minutos e 45 segundos para o final do primeiro tempo, Eduard Lamas decidiu tirar um coelho da cartola e fez um belíssimo golo sem qualquer possibilidade de defesa para Girão.  Os espanhóis, mais concentrados e focados no jogo, tiravam assim partido de algum nervosismo e desconcentração da seleção nacional.

Até ao final da primeira parte, Portugal não esboçou qualquer reação e os espanhóis foram controlando a posse de bola e esgotando ao máximo o tempo de ataque.

Chegava o intervalo e a Espanha levava assim uma vantagem de dois golos para a segunda parte. Portugal entrou muito bem no jogo, mas acusou muito a resposta rápida e eficaz da Espanha.

Início da segunda parte com Girão, Hélder Nunes, Diogo Rafael, Henrique Magalhães e Vítor Hugo em pista.

Portugal entra novamente muito nervoso e com uma sucessão de passes errados que levou Luís Sénica, logo aos 4 minutos, a colocar Gonçalo Alves e João Rodrigues em pista para tentar inverter a entrada em falso da nossa seleção. A Espanha, por outro lado, mantinha-se tranquila na pista e a trabalhar a posse de bola.

Aos 7 minutos a defesa da noite! Girão, a tapar todos os caminhos após jogada ofensiva finalizada por Jordi Adroher. Arrancou aplausos de todo o Riazor.

A Espanha carregava e ainda nos 7 minutos da segunda parte Alabart faz o 4-1 para a Espanha. Tarefa muito complicada para um Portugal muito desconcentrado para uma Espanha muito forte.

Enquanto Portugal se tentava encontrar, já a Espanha avançava novamente no marcador. Pau Bargallo, com cerca de 10 minutos jogados, faz o 5-1 para a Espanha batendo Girão mais uma vez. Pouco tempo depois, Luís Sénica pedia um desconto de tempo para Portugal.

A 12 minutos do final da partida, Pau Bagallo vê o cartão azul e dá nova oportunidade de livre direto a Portugal. Um golo nesta fase poderia dar outro alento aos portugueses. Chamado ao livre direto, João Rodrigues, o nosso capitão, faz o golo fixando o resultado em 5-2 e batendo o guardião espanhol pela segunda vez. Com este golo, a exclusão de 2 minutos aplicada a Bargallo ficava sem efeito.

Quando estávamos próximos dos últimos 11 minutos de jogo, a Espanha chega às 10 faltas, dando nova oportunidade para Portugal de livre direto. João Rodrigues chamado novamente à marcação, perante um coro de assobios do Riazor, envia a bola aos ferros da baliza espanhola. Oportunidade de ouro desperdiçada para Portugal se aproximar do marcador.

Ferran Font, novamente o atleta do Sporting, efetua um remate de meia distância e consegue passar a bola pelo buraco da agulha, batendo uma vez mais Girão. Nova explosão de alegria no Riazor, numa altura em que adeptos e atletas iam sentindo cada vez mais próxima uma nova conquista para Espanha.

Portugal ia tentando reagir e Luís Sénica colocava Poka em pista pela primeira vez nesta partida. O atleta da AD Valongo fazia assim os seus primeiros minutos nesta final. Por outro lado a Espanha ia jogando tranquilamente com o tempo e fazendo também trocas no seu cinco inicial.

Nos últimos minutos da partida Portugal tentou ainda procurar o golo mas esbarrava na consistência espanhola.

A 1 minuto e 42 segundos do fim, Portugal chega à 10ª falta, dando a oportunidade a Eduard Lamas de fazer o 7-2. Contudo Girão aplicou-se e defendeu a bola do espanhol. Na sequência deste lance, João Rodrigues reduz para Portugal, fazendo o 6-3, já na recta final da partida.

A equipa da casa foi uma justa merecedora pois foi a melhor equipa em pista durante praticamente todo o encontro. A entrada de Portugal, que recordo esteve a vencer por 1-0, não afetou os espanhóis, que superiorizaram-se à seleção portuguesa acabando por vencer com um resultado folgado.

Chegava assim o final da partida, com a Espanha a vencer por 6-3 e entoava-se o grito de Campeones no Riazor. A Espanha chegava assim a mais um título europeu, junto dos seus adeptos galegos!

Parabéns Portugal pela excelente prestação durante todo o Europeu!



Comentários